domingo, 14 de janeiro de 2007

Fruto de enganos ou de amor,
nasço de minha própria contradição.
O contorno da boca,
a forma da mão, o jeito de andar
(sonhos e temores incluídos)
virão desse que me formaram.
Mas o que eu traçar no espelho
há de se armar também
segundo o meu desejo.

Terei meu par de asas
cujo vôo se levanta desses
que me dão a sombra onde eu cresço
- como, debaixo da árvore,
um caule,
e sua flor.

(Lya Luft)

2 comentários:

mariliaporfirio disse...

Ta bom,eu nao comento...++ leio, adoro ler...cade?!Vai postar ++ nao é?!

AMOOOO

leocarrer2 disse...

Fala Moça, tah sumida. Demora pra voltar nao. Bjos.